Piauí

Abrigos de menores em Teresina receberão mutirões da Justiça

Nesta edição do mutirão, duas comunidades terapêuticas (Fazenda da Paz e Casa do Oleiro) também serão visitadas.
VITOR FERNANDES
05/10/2017 07h38 - atualizado

A titular da 1ª Vara da Infância e Adolescência, e representante da Coordenadoria Estadual Judiciária da Infância e Juventude, juíza Maria Luíza Moura Mello e Freitas, fez a abertura no dia 01 de outubro, no auditório da OAB-PI, de mais uma série de mutirões nas casas e abrigos que mantém crianças e adolescentes institucionalizados em Teresina. Os mutirões institucionais irão de 03 a 31 de outubro.

  • Foto: Fernando Castelo BrancoMembros da Corregedoria Geral de Justiça, OAB-PI, Governo, Prefeitura de Teresina, MP e Defensoria.Membros da Corregedoria Geral de Justiça, OAB-PI, Governo, Prefeitura de Teresina, MP e Defensoria.

Os mutirões atendem recomendações previstas no Código de Defesa da Criança e do Adolescente e também feita pelo Conselho Nacional de Justiça. A cada seis meses o magistrado responsável pela área deve realizar visitas e inspeções nos locais que abrigam crianças e adolescente, colhendo manifestações e realizando inspeções. Em Teresina, 11 abrigos cuidam de menores institucionalizados. Nesta edição do mutirão, duas comunidades terapêuticas (Fazenda da Paz e Casa do Oleiro) também serão visitadas.

Em sua fala de acolhimento, a juíza enfocou a força das parcerias e demonstrou preocupação com a exposição de menores em redes sociais.

O representante da Corregedoria Geral de Justiça, professor Alci Marcus Ribeiro Borges, falou da necessidade de respeitar o ECA como defensor maior dos direitos daqueles que muitas vezes encontram-se sob a tutela do Estado.