Piauí

Ação que pode cassar Ciro e Iracema chega a fase de alegações finais

A ação pede o ressarcimento integral do dano causado, a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e a proibição de contratar com o Poder Público.
RAYANE TRAJANO
07/04/2017 20h28 - atualizado

Chegou a fase de alegações finais a ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público Federal contra o senador Ciro Nogueira e a deputada federal Iracema Portella, ambos filiados ao Partido Progressista (PP).

Os parlamentares são acusados de terem se utilizado de recursos públicos para fins particulares.

A denúncia trata especificamente a respeito da publicação de Jornal informativo do mandato do Senador Ciro Nogueira e argumenta que os dois parlamentares fizeram promoção pessoal e propaganda antecipada da Deputada Federal Iracema Portella, à época pré-candidata às eleições de 2014.

  • Foto: Facebook/Iracema PortellaIracema Portella e Ciro NogueiraIracema Portella e Ciro Nogueira

A publicação teria tiragem de 120 mil exemplares que teriam sido distribuídos ao Jornal Diário do Povo e Jornal O Dia aos custos respectivos de R$ 1.550,00 e R$1.122,00, tendo a impressão custado R$1.122,08.

A ação pede o ressarcimento integral do dano, a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e a proibição de contratar com o Poder Público.

O MPF apresentou alegações finais no dia 03 de março de 2017.