Piauí

Assessores do prefeito João da Cruz são alvos de investigação do MP

De acordo com a denúncia, funcionários estariam acumulando cargos públicos.
MARCOS CUNHA
23/06/2017 21h07 - atualizado

A promotora Mirna de Araújo Napoleão Lima, da Promotoria de Justiça de Cristino Castro, decidiu abrir investigação para apurar suposto acúmulo ilegal de cargos públicos por Glemersson Pires da Silva e Francisco Silva Sousa, assessores do prefeito de Palmeira do Piauí, João da Cruz.

De acordo com a denúncia, os funcionários estariam atuando como assessores especiais do gestor e também como motoristas da Unidade Mista de Saúde Miguel Pinheiro Lopes. Caso comprovado, a prática ilegal se configura como ato de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

A promotora solicitou que o prefeito João da Cruz seja notificado, para que apresente em até 15 dias as informações sobre as atividades desenvolvidas pelos dois assessores, indicando o período dos vínculos mantidos com o Município e as respectivas datas do primeiro e do último pagamento.

O prefeito deve apresentar ainda as fichas financeiras dos valores recebidos pelos assessores, referente a vencimento base, gratificação ou remuneração, com os respectivos comprovantes de pagamentos, outras informações e documentos pertinentes ao esclarecimento da investigação.

A promotora Mirna de Araújo ressaltou que atos de improbidade administrativa têm como consequência a suspensão dos direitos políticos, perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao Município.  A portaria foi assinada nessa quinta-feira (22).

Outro lado 

O prefeito João da Cruz e os assessores não foram encontrados para comentar o caso. O espaço está aberto para esclarecimentos.