Polícia

Audiência sobre homicídio do cabo Claudemir vai durar 3 dias

O juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, marcou a audiência de instrução e julgamento da Ação Penal que investiga o homicídio do Cabo Claudemir.
RAYANE TRAJANO
17/05/2017 18h33

O juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, marcou a audiência de instrução e julgamento da Ação Penal que investiga o homicídio do Cabo Claudemir para os dias 12, 13 e 14 de junho de 2017. O despacho foi assinado na última segunda-feira, 15 de maio.

Nos três dias serão ouvidos os oito acusados de envolvimento no crime, as testemunhas e na sequência, realizados os debates orais.

São réus na ação são:

  • Foto: Divulgação/SSP-PISuspeitos de envolvimento no homicídio do Cabo ClaudemirSuspeitos de envolvimento no homicídio do Cabo Claudemir

Maria Ocianira Barbosa de Sousa - ex-diretora administrativa do Hospital Areolino de Abreu, namorada do militar à época. Foi quem planejou o homicídio, junto com um outro namorado, Leonardo.

Leonardo Ferreira Lima - ex-funcionário da Infraero, também tinha relacionamento com Ocionira, os dois teriam planejado o crime.

José Roberto Leal da Silva – taxista. Foi o elo entre Leonardo e os dois atiradores.

Flávio Willame da Silva – atirador.

Weslley Marlon Silva – atirador.

Igor Andrade Sousa – foi quem forneceu as armas e um veículo para o crime.

Thaís Monait Neris de Oliveira e Francisco Luan de Sena – monitoraram a vítima e passaram informações para os atiradores no momento do crime.  

Wagner Pereira Falcão -  foi denunciado por negar informações à polícia.

O crime

O cabo do Bope, Claudemir Sousa, foi morto no dia 06 de dezembro de 2016, quando saída de uma academia de musculação, na avenida principal do bairro Saci, zona sul de Teresina. Ele foi atingido por oito tiros à queima-roupa e teve morte imediata. No dia seguinte, cinco pessoas foram presas. A investigação do caso foi conduzida pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

Mais conteúdo sobre: