Piauí

Auditores do Trabalho protestam e ressaltam índices de acidentes

O ato aconteceu em frente à sede regional do Ministério do Trabalho e Emprego.
RAYANE TRAJANO
28/04/2017 15h21 - atualizado

A delegacia piauiense do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait-PI) realizou manifestação em apoio a greve geral, nesta sexta-feira (28). O ato aconteceu em frente à sede regional do Ministério do Trabalho e Emprego, contra as reformas Trabalhista e Previdenciária, bem como a Lei da Terceirização.

No ato, os auditores fiscais do trabalho também alertaram a sociedade em relação aos altos índices de acidentes do trabalho registrados no Piauí nos últimos anos.  

  • Foto: Divulgação/SinaitProtesto dos auditoresProtesto dos auditores

“Todos os anos, no dia 28 de abril, nos reunimos para rememorar os trabalhadores vítimas dos acidentes do trabalho e para chamar a atenção da sociedade brasileira para os riscos que o trabalhador corre diariamente. Mas hoje, também estamos aqui para dizer não a todas as reformas que estão tramitando no Congresso Nacional, que, se aprovadas, devem tornar ainda mais grave esse quadro. Desde o início, o Sinait se manifestou contra a reforma trabalhista e previdenciária, contra a terceirização. Estamos aqui para dizer que repudiamos tudo o que está acontecendo, pois essas mudanças que estão sendo votadas na calada da noite, sem nenhuma discussão com a sociedade, são maléficas para o trabalhador", argumentou Soraya Lima, presidente do Sinait no Piauí.

  • Foto: Divulgação/SinaitAuditores participam da manifestaçãoAuditores participam da manifestação

Ela lembrou que 80% dos acidentes de trabalho no Brasil acontecem com trabalhadores terceirizados, o que torna ainda mais preocupante a aprovação dessas reformas.

"A sociedade não tem ideia dos malefícios que a reforma trará para o conjunto de direitos do trabalhador, que foram conquistados ao longo de anos a custa de muita luta”, disse Soraya.

  • Foto: Divulgação/SinaitManifestação do auditoresManifestação do auditores

A data

O Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho foi instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

No Brasil, a Lei 11.121/2005 instituiu o mesmo dia como o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. 

Segundo a auditora fiscal do trabalho Flávia Lorena Lopes, o Brasil está em quarto lugar em número de acidentes de trabalho no mundo e os custos com esses acidentes chegam a 4% do PIB Nacional.

No Piauí, o ramo da Construção Civil é o que mais acidenta e com maior gravidade.  "A Auditoria Fiscal do Trabalho fiscalizou 15 obras e cerca de 30 empresas durante esse mês de abril. Dessas, seis estão embargadas por apresentar situações de riscos eminentes à saúde do trabalhador. Além disso fizemos nove interdições referentes a equipamentos, com estimativa de 150 autos lavrados. São andaimes, falta de guarda-corpo, elevadores e outras situações que podem levar a acidentes graves, ocasionando inclusive a morte de trabalhadores", disse a auditora.