Polícia

Casal de policiais civis suspeito de fraude retorna à corporação

O desembargador Pedro de Alcântara Macedo, da 1ª Câmara Especializada Criminal, concedeu a suspensão da medida cautelar de afastamento do exercício da função pública.
ISABELA DE MENESES
07/06/2017 10h57 - atualizado

O desembargador Pedro de Alcântara Macedo, da 1ª Câmara Especializada Criminal, concedeu a suspensão da medida cautelar de afastamento do exercício da função pública do casal de policiais civis, Aline de Mirando Carvalho Nóbrega e Anderson Vasconcelos da Nóbrega, que foram presos durante a operação Infiltrados, no mês de maio, que investigou fraude no concurso público para agente da Polícia Civil no ano de 2012. A decisão foi publicada no Diário Oficial da Justiça, na última segunda-feira (05).

Para a decisão o desembargador alegou, que a medida cautelar não é necessária, pois considerou que existiu um constrangimento ilegal evidente. Anteriormente, após a prisão, o casal foi afastado das funções policiais por uma decisão da Justiça, decisão agora revogada. Os distintivos e armas de ambos haviam sido devolvidos à Polícia Civil na época.

  • Foto: Isabela de Meneses/ViagoraDelegado geral da Polícia Civil do Piauí Riedel BatistaDelegado geral da Polícia Civil do Piauí Riedel Batista

O delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Riedel Batista, informou ao Viagora na manhã desta quarta-feira (07), que não cabe a Polícia Civil recorrer da decisão, apenas ao Ministério Público. Também disse que a decisão do desembargador Pedro de Alcântara será cumprida.