Política

Congresso Nacional suspende votação sobre nova Meta Fiscal

A revisão do texto prevê um aumento déficit orçamentário para R$ 159 bilhões.
GABRIEL SOARES
31/08/2017 12h14 - atualizado

O Congresso Nacional suspendeu, na madrugada desta quinta-feira (31), a votação do texto-base do Projeto de Lei (PLN) 17/17, que autoriza o governo a aumentar o déficit primário de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões em 2017, por falta de quórum durante a sessão. Ainda assim, o texto-base do projeto foi aprovado.

A votação dos destaques apresentados teve de ser interrompida às 3h43min. O presidente do Congresso, Munício Oliveira, convocou sessão para continuar a votação das duas emendas restantes para as 19 horas da próxima terça-feira (5).

O governo será obrigado a enviar hoje o projeto de lei do Orçamento de 2018 utilizando as expectativas desatualizadas pela equipe econômica, com o déficit de R$ 129 bilhões.

  • Foto: Divulgação/Câmara dos DeputadosCongresso não encerra votação sobre texto que revisa meta-fiscal.Congresso não encerra votação sobre texto que revisa meta-fiscal.

Conforme a Agência Brasil, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que o governo não foi derrotado pela falta de conclusão da votação. "Foi uma derrota para o cansaço, porque 38 deputados não conseguiram chegar. Faz parte do jogo. Foi uma obstrução legítima, não podemos tirar o mérito da oposição, mas não é nada que crie qualquer problema para o governo", disse.

O senador explicou que o governo precisa apenas enviar uma correção da meta ao Congresso Nacional, caso os destaques sejam rejeitados na próxima semana.

Em contrapartida, o líder do PSOL na Câmara, deputado Glauber Braga (RJ), disse que viraria a noite se fosse preciso. "Essa história de suspender sessão para a turma tomar café e, no dia seguinte, de manhã, estar aqui, coisa nenhuma. Vamos ficar aqui. Não tem isso, não. Vamos ficar aqui no plenário da Câmara. Eu agora estou disposto. Estou com mais energia do que no início da sessão para ficar aqui agora", disse.

Sessão

A sessão que se prolongou durante 11 horas começou por volta das 17h, com a análise de oito vetos presidenciais que deveriam ser votados antes das novas metas fiscais. Antes da aprovação do texto-base, a oposição já pedia a verificação de quórum, o que atrasou paulatinamente a sessão.

“Nós encerramos a sessão uma vez que votamos aqui todos os vetos pendentes. Votamos durante onze horas ontem e onze horas e meia hoje quase vinte matérias nominais, com obstrução, com questões de ordem apenas para correr tempo, e pelo jogo da oposição", disse.