Piauí

Cronograma do concurso de Bombeiros deve ser acertado nesta semana

O último concurso, em 2014, foi cancelado por fraude em processo de classificatório.
YURY PONTES
02/04/2017 08h20 - atualizado

Após a descoberta de fraude no concurso para o Corpo de Bombeiros do Estado do Piauí, realizado em 2014, o Governou do Estado decretou cancelamento do certame. Três anos depois, Franzé Silva, secretário da Administração do estado, informou que deve se reunir ainda na próxima semana com o Núcleo de Concurso e Promoções de Eventos (Nucepe) para definir um novo cronograma de prestação ao concurso.

“Nós já encaminhamos a solicitação para que a Nucepe prepare o novo edital, e agora estamos esperando que o órgão conclua o edital para podermos nos reunir”, destacou o secretário.

Quem prestou o concurso passado na precisará pagar a taxa de inscrição, no valor de R$ 70,00. Contudo os concursandos que realizaram o último exame e não quiserem participar deste novo processo poderão ser ressarcidos. O novo concurso terá disponível também 100 vagas para classificação.

  • Foto: DivulgaçãoFranzé Silva, secretário de Administração do EstadoFranzé Silva, secretário de Administração do Estado

Franzé ainda informou que o número de vagas ofertadas tanto para a Polícia Militar, quanto para o Corpo de Bombeiros, é pensado pela folha de pagamento do estado. Esse número reduzido é o proposto, pois o governo não tem recursos suficientes para a demanda necessária do estado sem que atrase a folha de pagamento.

Contudo, Franzé afirmou que o governo deve fazer reunião com o Presidente Michel Temer e espera que a União possa ajudar com a verba necessária para aumentar esse contingente.

“Todos os estados estão passando por sufoco. Está sendo negociado as dívidas dos estados que estão inadimplentes. O Piauí, o Espirito Santo e mais dois estados, que estão com as contas equilibradas, querem saber [do presidente] qual será o retorno para esses estados que fizeram o dever de casa”, declarou o secretário.

Estatística

O Piauí, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizada em 2015, é o 3º pior estado em efetivo policial do país, ficando fora do padrão recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que sugere um efetivo proporcional a um policial a cada 450 habitantes, o que daria cerca de 7000 mil policiais no estado. Atualmente a Polícia Militar do estado, conta com um efetivo de poucos mais de 5300 policiais, sendo bem abaixo do recomendado pela ONU.