Geral

Elmano diz que Correios não podem agir pensando apenas no lucro

O presidente dos Correios, Guilherme Campos, lembrou que quem fica feliz com a greve são os concorrentes.
ISABELA DE MENESES
28/09/2017 12h00 - atualizado

Na última terça-feira (26), a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado realizou audiência para discutir a possibilidade de fechamento de agências de bancos postais em todo o país. O senador Elmano Férrer (PMDB-PI) se posicionou contra o fechamento.

Segundo os participantes, os comandos do Banco do Brasil e dos Correios ainda não chegaram a um acordo para evitar o fim dos serviços em diferentes localidades brasileiras.

Elmano e alguns parlamentares do Nordeste, que estavam na audiência, afirmaram que estatais como o Banco do Brasil e os Correios não podem agir visando apenas lucrar, deixando de lado compromissos sociais com o país.

  • Foto: Agência SenadoSenador Elmano Férrer (PMDB)Senador Elmano Férrer (PMDB)

De acordo com a Agência Senado, a atual greve de parte dos funcionários dos Correios também foi abordada durante a audiência e o presidente dos Correios, Guilherme Campos, lembrou que quem fica feliz com a greve são os concorrentes que atuam fora do serviço monopolizado pela estatal.

“Os correios passam agora pela hora da verdade. A empresa tem que se reinventar. O monopólio postal é uma atividade que cai a cada ano. O Brasil não fez a lição de casa. No passado, havia usuários do sistema. Hoje tem que ir atrás dos clientes. A atividade do monopólio acabou. Acabou!”, enfatizou Guilherme Campos.

Mais na Web