Geral

Empresas e órgãos públicos ficam fora do ar após ciberataque mundial

No Brasil, os ciberataques fizeram com que sites do Ministério Público e do Tribunal de Justiça saíssem do ar.
MARCOS CUNHA
12/05/2017 18h40

Ao menos mais 74 países, incluindo o Brasil, tiveram empresas e usuários de internet alvos de uma série de ciberataques em "larga escala" nesta sexta-feira (12), segundo a empresa de segurança russa Kaspersky Lab. Os ataques afetaram hospitais públicos na Inglaterra e levaram a cancelamentos de atendimentos e redirecionamento de ambulâncias.

No Brasil, os ciberataques fizeram com que sites do Ministério Público e do Tribunal de Justiça saíssem do ar. Os órgãos alegam que decidiram tirar as páginas do ar como uma forma de prevenção. Sistemas de internet do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Ceará e em Brasília foram desligados após suspeita de invasão. A Petrobras também afirmou adotar medidas preventivas para manter a rede e seus dados seguros.

  • Foto: ReproduçãoCiberataque mundialCiberataque mundial

Os ataques usam vírus de resgate, que deixam os sistemas ou dados inutilizáveis até que seja paga uma quantia em dinheiro - entre US$ 300 e US$ 600 em Bitcoins, diz a Kaspersky. A maior parte dos ciberataques foi registrado na Rússia.

O vírus se espalha por meio de uma brecha no Windows, que a Microsoft diz ter corrigido em 14 de março. Mas usuários que não atualizaram os sistemas podem ter ficado vulneráveis. A falha afeta as versões Vista, Server 2008, 7, Server 2008 R2, 8.1, Server 2012, Server 2012 R2, RT 8.1, 10 e Server 2016 do Windows.