Piauí

Entidades criam grupos de trabalho para atuar em presídio de Altos

A criação aconteceu para debater sobre o fato ocorrido no último sábado (30), quando uma criança foi encontrada dentro de uma cela da unidade prisional juntamente com um detento preso por estupro.
VITOR FERNANDES
05/10/2017 17h04 - atualizado

Dois grupos de trabalho foram criados pelos representantes da OAB-PI, do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente, do Ministério Público, do Poder Judiciário e da Defensoria Pública, juntamente com o secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira.

  • Foto: DivulgaçãoInstituições criam grupos de trabalho para aperfeiçoamento do sistema prisional do Piauí.Instituições criam grupos de trabalho para aperfeiçoamento do sistema prisional do Piauí.

A criação aconteceu em uma reunião hoje (05) para debater sobre o fato ocorrido no último sábado (30), quando uma criança foi encontrada dentro de uma cela da unidade prisional Colônia Agrícola Major César Oliveira, em Altos, juntamente com um detento preso por estupro de vulnerável.

O primeiro grupo terá o intuito de discutir sobre a segurança da unidade prisional e o segundo grupo foi formado com o objetivo de debater o aperfeiçoamento das regras de entrada de crianças e adolescentes nos presídios.

O secretário Daniel Oliveira ressaltou a importância da presença das instituições para o fortalecimento de ações em prol do sistema prisional piauiense. “Reconheço a necessidade desta integração entre as instituições para aperfeiçoar o regramento e a disciplina de entrada e saída das penitenciárias do nosso Estado. Valorizo esse momento de debates e acredito que todos os olhares são importantes para que possamos aperfeiçoar a execução da política penitenciária do Estado”, afirmou.

Ao final, os representantes ficaram responsáveis por apresentar estudos que irão aprimorar o desenvolvimento dos trabalhos dos dois grupos num prazo de 15 dias e, posteriormente, promover a criação de relatórios para tais estudos.