Política

Ex-presidente Lula diz que denúncias contra ele são "palhaçada"

Ex-presidente também pediu que acusação prove sua culpa.
GABRIEL SOARES
04/06/2017 08h51 - atualizado

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou em Brasília, que já provou a inocência e pediu o fim da "palhaçada" das acusações contra ele. A afirmação foi feita nessa quinta-feira (01), no 6ª Congresso Nacional do PT. Lula é acusado de obter um tríplex na cidade de Guarujá, no litoral de São Paulo. Neste sábado (03), o Ministério Público Federal, pediu a prisão do petista. 

  • Foto: Divulgação/Partido dos TrabalhadoresLula critica acusações do MPF em congresso Nacional do PTLula critica acusações do MPF em congresso Nacional do PT

Réu das operações Lava Jato e Zelotes, ele também é acusado pelo MPF de obter benefícios com esquemas de corrupção envolvendo a Petrobras. "Eu não quero que vocês se preocupem com meu problema pessoal. Esse, eu quero decidir com o representante do Ministério Público, da Lava Jato. Quero decidir com eles. Eu já provei minha inocência. Agora vou exigir que eles provem minha culpa, porque cada mentira contada será desmontada”, afirmou o ex-presidente, acrescentando que “um dia o Willian Bonner vai pedir desculpas ao PT por tudo que fizeram”.

Lula ainda se posicionou em relação à supostas contas no exterior pertencente a ele e a ex-presidente Dilma Rousseff. "Eu e Dilma temos até conta no exterior. Eu nem sabia que ela tinha e ela não sabe que eu tenho. Um canalha diz que fez uma conta para mim e uma para a Dilma, mas que está no nome dele. E ele mexe com a grana. Então, é o seguinte: chegou o momento de parar com a palhaçada neste país. Este país não comporta mais viver nessa situação de achincalhamento, e o Partido dos Trabalhadores tem de dar uma resposta clara para a sociedade", acrescentou Lula.

O congresso vai até este sábado (03) e haverá a escolha do novo presidente do Partido dos Trabalhadores.  Até o momento, há três candidatos para o posto: Gleisi Hoffman (PR), Lindemberg Farias (RJ) e José de Oliveira, ligado ao movimento negro. Haverá também a construção de um documento voltado para criticar a Lava Jato.

Mais conteúdo sobre: