Política

Fábio Novo nega recebimento de propina para eleições de 2014

O secretário de Cultura foi citado em uma lista do diretor de relações institucionais, Ricardo Saud, por suposto recebimento de propina na eleição de 2014.
VITOR FERNANDES
24/05/2017 17h26 - atualizado

O secretário de cultura, Fábio Novo (PT), divulgou uma nota de esclarecimento nessa terça-feira (23), depois de seu nome ter sido citado em uma lista do diretor de relações institucionais, Ricardo Saud, por suposto recebimento de propina na eleição de 2014 para benefício da chapa Dilma-Temer.

  • Foto: Reprodução/FacebookSecretário de Cultura, Fábio Novo, é citado em delação de Ricardo Saud.Secretário de Cultura, Fábio Novo, é citado em delação de Ricardo Saud.

O secretário alega que a doação foi legal por ter sido registrada perante os órgãos da Justiça Eleitoral e Receita Federal em 2014 para o PT do Piauí. Segundo ele, desses recursos o PT-PI não repassou valores para a conta dele, e o que ocorreu, na verdade, foi a confecção e pagamento de mais de R$ 3 mil reais em material gráfico, e tudo isso encontra-se registrado de forma transparente nas prestações de contas.

Fábio Novo afirmou que em 2014 a legislação eleitoral permitia o repasse de recursos de empresas a partidos, e o que consta em prestação de contas também foi aprovado pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Por fim, ele nega qualquer envolvimento com a JBS. “Esclareço que não conheço ninguém da JBS e muito menos tratei com alguém da empresa sobre doação de campanha ou qualquer outro assunto”, esclarece a nota.

De acordo com as informações da delação de Ricardo Saud, Fábio Novo teria recebido a quantia de R$ 3.179 (três mil, cento e setenta e nove reais).

Mais conteúdo sobre: