Política

Firmino Filho gastou R$ 1,8 milhão do Fundeb com agência ADV6

A contratação é irregular devido a restrição da utilização do Fundo a educação.
GABRIEL SOARES
29/08/2017 18h16 - atualizado

O Tribunal de Contas do Estado (TCE), em uma investigação sobre a movimentação financeira dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), antigo Fundef, constatou que o prefeito Firmino Filho (PSDB) pagou à empresa de publicidade ADV/6 LTDA ME o montante de R$ 1.875.154,20, em dezembro de 2016, oriundos do Fundo.  Este é apenas um dos gastos irregulares apontados pela fiscalização do Tribunal de Contas do Estado.

Atualmente, os recursos que restaram do fundo estão bloqueados pelo TCE

  • Foto: Isabela de Meneses/ViagoraPrefeito Firmino Filho (PSDB)Prefeito Firmino Filho (PSDB)

Fornecido pela União, o Fundeb é voltado única e exclusivamente para financiar a educação básica. Porém, parte do recurso foi utilizada para a pagar a empresa, contratada por meio de processo licitatório, para prestação de serviços de veiculação e matrículas em 2017 nos meios de comunicação. Assim, a contratação vai contra a norma de utilização dos recursos.

A utilização indevida desses recursos foi denunciada pelo Sindicato de Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm) ao Ministério Público de Contas, que ofereceu denúncia, reusultando no bloqueio da conta pelo TCE. O sindicato também acusa o prefeito do crime de responsabilidade fiscal, alegando que o prefeito Firmino Filho não cumpriu com o comprometimento de utilizar 60% de tais recursos para pagamento de profissionais do magistério e os outros 40% para a manutenção e expansão da estrutura educacional do município.

“Enviamos dois advogados à Brasília para acionar uma ação contra o prefeito no Ministério Público Federal”, pontuou o presidente do Sindserm, Sinésio Soares.

  • Foto: Gabriel Soares/ViagoraO presidente do Sindserm, Sineas Soares.Presidente do Sindserm, Sinesio Soares

No dia 4 de setembro haverá uma sessão especial no Tribunal de Contas do Estado do Piauí para apreciar os casos de uso indevido de recursos do Fundeb pelos prefeitos. O Sindserm vai participar do debate, cobrando o cumprimento da regulamentação do Ministério da Educação e a devolução do dinheiro gasto por Fimino Filho em outras áreas. 

Leia mais sobre o caso: 

Ministério Público denuncia prefeito Firmino Filho ao TCE

Firmino Filho usou dinheiro da Educação para pagar publicidade

TCE bloqueia conta para impedir Firmino de fazer gastos irregulares

Olavo Rebelo vota contra Firmino e mantém conta do Fundef bloqueada

Juíza manda Polícia Federal investigar gastos de Firmino Filho