Polícia

Gaeco deflagra Operação Escamoteamento no norte do Piauí

A Polícia Rodoviária Federal, Tribunal de Contas da União, Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas do Estado também participam da operação.
RAYANE TRAJANO
07/04/2017 07h41 - atualizado

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Estado, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal, Tribunal de Contas da União, Controladoria Geral da União e Tribunal de Contas do Estado deflagrou a Operação Escamoteamento, na madrugada desta sexta-feira (07).

  • Foto: Divulgação/PRFOperação EscamoteamentoOperação Escamoteamento

O objetivo da Operação é cumprir mandados de prisão e condução coercitiva de donos de empresas atuantes no norte do estado do Piauí e empresas do Ceará que atuam nas cidades de Cocal, Buriti dos Lopes e outras.

De acordo com as investigações que desencadearam a operação, as empresas fechavam contratos para realização de serviços, obras de construção com valores exorbitantes, sem a devida prestação do serviço para os quais foram contratadas.

  • Foto: Divulgação/PRFPreso na Operação EscamoteamentoPreso na Operação Escamoteamento

Até as 8h desta sexta-feira (07), dez empresários já estavam detidos no interior do estado. As ações para cumprimento dos mandados continuam durante a manhã. Em diversas cidades foram apreendidas armas, munições, além de dinheiro que ainda não foi contabilizado. Os donos das empresas são acusados de lavagem de dinheiro e fraude em licitações.

Foi solicitada a indisponibilidade de bens dos empresários piauieneses no valor de quase R$ 19 bilhões. Entre indisponibilidade de bens, sequestros de bens, bloqueio de contas bancárias, soma-se R$18.189.644,35, como as empresas que contrataram com Piauí e Maranhão, há possibilidade desse valor ser ainda maior, tendo em vista que as características da empresa são as mesmas de contratação com Piaui.