Geral

Gilmar Mendes considera Janot o procurador-geral mais desqualificado

Gilmar diz que o atual procurador-geral, Rodrigo Janot, é o “mais desqualificado que já passou pela história da procuradoria”.
VITOR FERNANDES
07/08/2017 15h55 - atualizado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, deu uma entrevista à Rádio Gaúcha nesta segunda-feira (07) falando sobre o trabalho da Operação Lava Jato, da Procuradoria-Geral da República (PGR) e do STF. Em relação à PGR, Gilmar disse que o atual procurador-geral, Rodrigo Janot, é o “mais desqualificado que já passou pela história da procuradoria”.

  • Foto: Banco de Imagens/STFMinistro do STF, Gilmar MendesMinistro do STF, Gilmar Mendes

Gilmar Mendes afirmou que Rodrigo Janot é desqualificado “porque ele não tem condições. Na verdade não tem preparo jurídico nem emocional para dirigir algum órgão dessa importância".

  • Foto: José Cruz/Agência BrasilRodrigo JanotRodrigo Janot.

O ministro também criticou as delações premiadas. Ele acredita que o acordo firmado com a JBS, dos irmãos Batista, por exemplo, será avaliada novamente.

"Tenho absoluta certeza de que o será. Como agora a Polícia Federal acaba de pedir a reavaliação do caso do Sérgio Machado, que é um desses casos escandalosos de acordo. Certamente vai ser suscitado em algum processo e será reavaliado", complementou.

O ministro falou manifestou também sua opinião quanto à importância da maior operação de investigação do Brasil.

"Não é verdade que eu tenha dito que a Lava Jato deixou de ser importante. Acho os trabalhos extremamente importantes, mas isso não me compromete com eventuais equívoco. Sempre fui uma voz vencida na segunda turma quanto ao aumento das prisões da Lava Jato. Foi eu que votei o habeas [corpus], fui o terceiro voto, de desempate, no caso do (José) Dirceu", disse.

Mais conteúdo sobre: