Piauí

Governador autoriza descentralização de seis hospitais do Piauí

As autorizações ocorreram em reunião nesta quarta-feira (31) com o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto.
VITOR FERNANDES
31/05/2017 15h37 - atualizado

A descentralização de seis hospitais e a execução de um curso gratuito de especialização multidisciplinar materno-infantil para profissionais da área foram autorizadas pelo governador Wellington Dias, em reunião nesta quarta-feira (31) com o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, e com o Secretário de Governo, Merlong Solano.

  • Foto: Divulgação/Governo-PIWellington autoriza ações com secretário de Saúde e Governo.Wellington autoriza ações com secretário de Saúde e Governo.

Florentino apresentou exemplo final de contrato a ser estabelecido pela Fundação Hospitalar do Piauí em que fala das descentralizações. “Cada um dos hospitais possui plano operativo, que estabelece os custos, as metas a serem atingidas e toda a programação de descentralização que será realizada no período de administração compartilhada e no segundo período, no qual a fundação administrará”.

As unidades de saúde a serem descentralizadas em Teresina são o Hospital Getúlio Vargas, Hospital Infantil Lucídio Portela e Hospital de Doenças Tropicais Natan Portela. Há ainda o Hospital Justino Luz, em Picos; o Hospital Regional Chagas Rodrigues, em Piripiri; e o Hospital Regional Cândido Ferraz, em São Raimundo Nonato.

Sobre o curso especialização

O curso é para profissionais do estado que trabalham em UTIs neonatal e de Cuidados Intermediários e vai ser realizado por meio de parceria firmada entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER).

O curso ofertará 27 vagas e terá duração de 15 meses. Outras turmas vão ser abertas após as finalizações das turmas atuais.

Wellington Dias fala desse processo de aprendizagem dos trabalhores. “A melhoria no atendimento à gestante e ao bebê é prioridade. Portanto, a qualificação das pessoas que trabalham diretamente com eles é fundamental para que continuemos avançando e salvando vidas”, disse.