Piauí

Greve dos agentes impede entrada de detentos em presídios do Piauí

“O Delegado Geral Riedel Batista, que ele vá pessoalmente tentar colocar preso dentro da Casa de Custódia", disse Zé Roberto, presidente do Sinpoljuspi.
ISABELA DE MENESES
13/09/2017 16h02 - atualizado

O presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), Zé Roberto, disse que o movimento grevista, que começou segunda-feira (11), continua por tempo indeterminado, já que o governo não propôs acordo ou se comprometeu a cumprir as reivindicações da categoria.

Zé Roberto informou ainda, que as 15 unidades prisionais do Piauí aderiram à greve e todos os agentes penitenciários do estado estão paralisados.

Já sobre a afirmação do Delegado Geral Riedel Batista, que a Polícia Civil conseguiu decisão judicial que determina a entrada de presos na Casa de Custódia, o presidente do Sinpoljuspi disse que os agentes penitenciários não vão permitir a entrada dos detentos. A intervenção da Justiça foi buscada devido à superlotação na Central de Flagrantes de Teresina. 

“O Delegado Geral Riedel Batista, que ele vá pessoalmente tentar colocar preso dentro da Casa de Custódia, ele vai ter que me matar primeiro e matar dezenas de agentes penitenciários, para ele fazer isso ele vai ter que nos matar primeiro”, disse Zé Roberto.

  • Foto: Divulgação/SinpoljuspiGreve dos agentes penitenciários inicia hoje (11)Greve dos agentes penitenciários inicia hoje (11)

Além disso, contou que nessa terça-feira (12), o secretário de Justiça, Daniel Oliveira procurou o sindicato, mas não ofereceu nenhuma proposta ou garantia de promover as mudanças necessárias para os agentes.

“O secretário de Justiça nos procurou ontem, mas não nos apresentou nenhuma proposta”, disse Zé Roberto.