Piauí

Imepi inicia campanha contra cortes de gastos na fiscalização

O órgão alega que corte pode aumentar a circulação de produtos de baixa qualidade.
GABRIEL SOARES
07/07/2017 10h13 - atualizado

O Instituto de Metrologia do Piauí (Imepi) está encabeçando uma campanha nacional contra cortes nos repasses aos 26 estados aos Institutos de Pesos e Medidas (Órgãos delegados). A instituição pública alega que a ação do Governo Federal poderá reduzir a fiscalização e aumentar a oferta de produtos de baixa qualidade circulando no país.

Embora estejam ligados aos governos estaduais, esses órgãos dependem do dinheiro compartilhado pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro). Nesta semana, o presidente nacional do Inmetro, Carlos Azevedo; o coordenador da Rede de Metrologia Brasileira, Pedro Paulo de Carvalho; e o presidente do Imepi, Maycon Danilo, estiveram em Brasília, reunidos com o senador Ciro Nogueira, do PP, para que ele interfira junto ao Ministério do Planejamento para evitar mais cortes aos Ipems.

  • Foto: Divulgação/street viewImpe alega que corte nos gastos afeta fiscalização no Brasil.Impe alega que corte nos gastos afeta fiscalização no Brasil.

O corte de despesas do governo federal atingiu as atividades do Inmetro, responsável por avaliar a qualidade de produtos como brinquedos e o funcionamento de instrumentos de medição, como balanças e bombas de combustíveis. O repasse mensal aos Ipems do país vem caindo desde 2014. Assim, em alguns estados, foi preciso racionar até gastos básicos, como o combustível dos carros usados nas vistorias.

“Queremos evitar o desaparelhamento e os cortes nos recursos de órgãos como Imepi para evitar problemas para os consumidores. A falta de recursos pode acarretar em graves fraudes metrológicas, gerando grandes prejuízos nas relações comerciais em todo país. O senador Ciro Nogueira, de pronto, se colocou à nossa disposição para sair em defesa do Inmetro e conversar com o ministro Dyogo Oliveira para mostrar a gravidade da situação”, explicou Maycon Danilo.

Os recursos do Inmetro têm origem, majoritariamente, da Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade, onde instituições estaduais localizadas em todas unidades federativas atuam por delegação do Inmetro, prestando serviços técnicos e de fiscalização em várias áreas. As divisas oriundas desses serviços vão para o Tesouro Nacional e precisam ser devolvidos ao Inmetro para que, parte significativa retorne às instituições estaduais visando à manutenção do sistema.