Política

Joesley e Saud estão presos na sede da Polícia Federal em São Paulo

O ministro Edson Fachin acatou o pedido de prisão dos delatores feito pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.
VITOR FERNANDES
10/09/2017 14h42 - atualizado

O dono da JBS, Joesley Batista, e o executivo Ricardo Saud se apresentaram à Polícia Federal no início da tarde deste domingo (10), depois que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator da Operação Lava jato, Edson Fachin, acatou o pedido de prisão dos delatores feito pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. O pedido do PGR foi realizado na sexta-feira (08) e também havia sido feita a solicitação da prisão do ex-procurador Marcelo Miller, que não foi acatada pelo ministro.

  • Foto: Rovena Rosa/Agência BrasilJoesley BatistaJoesley Batista

Edson Fachin acredita que os colaboradores omitiram informações em sua delação premiada, o que pode fazer com que o acordo seja rescindido. Nas novas gravações entregues por Joesley e Saud, eles falam da intenção de usar Miller para se aproximar de Rodrigo Janot.

Os delatores tentaram explicar aos investigadores que aquilo era uma “conversa de bêbados” e dizem que entregaram os áudios para demonstrar transparência e não por acidente.