Geral

Livro infantil é retirado de escolas devido a conto sobre incesto

Foram recolhidos 93 mil exemplares do livro.
JOSEFA GEOVANA
09/06/2017 11h54 - atualizado

O Ministro da Educação Mendonça filho, com base no parecer técnico da Secretaria de Educação Básica (SEB), decidiu recolher ontem (08) cerca de 93 mil exemplares do livro Enquanto o sono não vem,distribuídos aos alunos do primeiro, segundo e terceiro anos do ensino fundamental, pelo Programa de Alfabetização na Idade Certa (Pnaic).

  • Foto: Cíntia Borges / Editora RoccoLivro considerado pelo MEC impróprio para crianças.Livro considerado pelo MEC impróprio para crianças.

De acordo com a Secretaria de Educação Básica (SEB), a obra não é considerada adequada para crianças de sete e oito anos, devido a abordagem do tema incesto. O livro antes de ser distribuído nas escolas, havia sido selecionado no processo PNLD/Pnaic no ano de 2014, avaliado e aprovado pelo Centro de Alfabetização Leitura e Escrita da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais.

Mendonça filho, esclareceu que o MEC chegou à conclusão de que a melhor solução seria o recolhimento dos livros distribuídos. “Com suporte jurídico do próprio MEC, faremos o recolhimento e a ação de proteção das crianças para que elas não tenham acesso a uma literatura inadequada a suas faixas etárias, o MEC está aqui para zelar pela educação adequada das crianças e jovens do Brasil”, explicou o ministro.

O conto "A triste história de Eredegalda" é de autoria de José Mauro Bran, e foi publicada pela Editora Rocco. No livro existe uma descrição do conto, descrevendo a origem da história. “A história da princesa assediada pelo próprio pai aparece em vários lugares do Brasil com nomes diferentes: ‘Silvaninha’, ‘Valdomira’, ‘Faustina’. A versão aqui incluída foi inspirada em uma recolhida em Barbacena, Minas Gerais, e foi acrescida dos versos de um acalanto denominado ‘Lá vem vindo um anjo”. O conto relata o desejo de um rei em casar com uma de suas filhas, a mais bonita, que após negar se casar com o pai, sofre castigo e termina morrendo de sede.

  • Foto: DivulgaçãoConto A triste história de Eredegalda.Conto A triste história de Eredegalda.

Através de críticas e questionamentos sobre a obra, feito por pais e professores do país todo a respeito do conto de Eredegalda, o Ministro da Educação decidiu solicitar um parecer técnico, que chegou à conclusão de que a obra é inadequada a faixa etária em que é destinada, e ordenou o recolhimento dos exemplares afim de redistribuí-los em bibliotecas públicas de todo o Brasil.

Mais conteúdo sobre: