Política

Lula tem depoimento mantido após pedido de adiamento ser negado

O ex-presidente é acusado de receber um tríplex, no Guarujá, litoral paulista, como propina da construtora OAS.
VITOR FERNANDES
09/05/2017 17h46 - atualizado

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve pedido de adiamento do depoimento negado, por não haver flagrante ilegalidade. A decisão é do juiz federal substituto de Porto Alegre, Nivaldo Brunoni. As declarações de Lula ao juiz Sérgio Moro continuam, então, marcada para amanhã (10), em Curitiba. O petista falará sobre a suspensão do processo do tríplex da empreiteira OAS.

  • Foto: Facebook/LulaEx-presidente LulaEx-presidente Lula

Os advogados de Lula alegam que é impossível analisar todos os documentos do processo até quarta-feira. Lula é acusado pelo Ministério Público Federal de receber um tríplex, no Guarujá, litoral paulista, como propina da construtora OAS.

Conforme defesa de Lula, a Petrobrás anexou ao processo 5,42 gigabytes de mídia e aproximadamente 5 mil documentos estimados em cerca de 100 mil páginas. O juiz Brunoni falou que a anexação foi um pedido da própria defesa e não há relação com contratos indicados na denúncia. “Não há ilegalidade no não fornecimento de contratos e documentos que não digam respeito às imputações não contidas na denúncia”, explicou.

O MPF e as defesas poderão pedir últimas diligências. O juiz determinará prazos para a apresentação de alegações finais, caso isso não ocorra. Em seguida, os autos retornam a Sérgio Moro, que condenará ou absolverá os réus. Não há prazo para publicação da sentença.

Mais conteúdo sobre: