Piauí

Médicos denunciam diretoria do IASPI por supostas 'arbitrariedades'

Uma audiência pública discutiu as acusações, na 1ª Vara da Fazenda Pública. As acusações são a respeito do plano de saúde IAPEP/PLAMTA.
RAYANE TRAJANO
27/08/2017 12h13 - atualizado

O Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Piauí (IASPI), responsável pelo plano de saúde IAPEP/PLAMTA, foi denunciado pelo Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí. No último dia 23 de agosto uma audiência pública discutiu as acusações, na 1ª Vara da Fazenda Pública.

O sindicato alega que a direção do IASPI está cometendo várias arbitrariedades, dentre elas: a exigência da obrigatoriedade de o médico constituir pessoa jurídica, glosas de procedimentos e consultas previamente autorizados, exigência do médico comprar o software do leitor biométrico por preços exorbitantes, que é de única responsabilidade do plano e a inexistência de contrato, quando não, obrigam os médicos a assinarem contratos de adesão, que são unilaterais e só asseguram direitos do plano.

Além do Sindicato, representado pelo presidente Samuel Rêgo, a diretora Lúcia Santos e assessoria jurídica, participaram da audiência, o juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública, Dr. Aderson Nogueira, o Promotor de Justiça Edsel Beleza, representando o Ministro Público do Estado e ainda, representando o Conselho Regional de Medicina,Dagoberto Barros e assessoria jurídica, que manifestou apoio aos médicos.

Mais conteúdo sobre: