Piauí

Médicos do Piauí podem realizar nova paralisação em outubro

A classe alega que a categoria sofre com precarização no trabalho.
GABRIEL SOARES
21/09/2017 09h18 - atualizado

Os médicos que trabalham para o Estado podem paralisar suas atividades a partir do dia 02 de outubro. A possibilidade foi debatida na última assembleia, realizada na noite terça-feira (19), no auditório do Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí (SIMEPI). Durante a reunião, os profissionais discutiram irregularidades e imposições pelo governo, que não dialoga com a classe.

A diretora do SIMEPI e da FENAM, Lúcia Santos, afirmou que os médicos não devem aceitar a precarização do trabalho, onde há um a série de reivindicações que Secretário de Administração que ele se recusa a negociar.

  • Foto: Divulgação/SimepiMédico podem grevar em outubro.Médico podem grevar em outubro.

 “O Secretário de Administração, Franzé, está querendo impor um ponto eletrônico irregular, que não respeita as especificidades do médico, não apresenta relatórios diários, não respeita banco de horas e nem as horas extras”, comentou.

A categoria reivindica o piso salarial estipulado pela Federação Nacional dos Médicos (FENAM), a progressão automática na carreira, a realização de novos concursos públicos, devido ao acumulo de trabalho dos profissionais, e o ponto eletrônico de acordo com os direitos trabalhistas.

O sindicato relembrou cumprimento do ponto pelos médicos há muito tempo. Porém, essa aferição, segundo o Simepi, em concordância com as especificidades do trabalho médico. “Querem penalizar a classe e não deixaremos que façam economia às custas do nosso suor. Mantemos diariamente o bom serviço público, mesmo com as deficiências que nos deparamos”, declarou Lúcia Santos.