Política

Michel Temer e 'quadrilhão' do PMDB são denunciados ao STF

As acusações são de obstrução à Justiça e organização criminosa.
RAYANE TRAJANO
14/09/2017 18h12 - atualizado

O presidente da República Michel Temer (PMDB), foi denunciado mais uma vez ao Supremo Tribunal Federal (STF), pelo Procurador-Geral da República Rodrigo Janot. As acusações são de obstrução à Justiça e organização criminosa.

Outros seis membros do PMDB também foram denunciados, são eles: os ministros Eliseu Lemos Padilha e Wellington Moreira Franco; o ex-ministro Henrique Eduardo Lyra Alves e os ex-deputados Geddel Vieira Lima, Rodrigo Santos da Rocha Loures e Eduardo Cunha.

  • Foto: Antonio Cruz/ Agência BrasilMichel Temer é denunciado ao Supremo Tribunal FederalMichel Temer é denunciado ao Supremo Tribunal Federal

“Pelo menos, desde meados de 2006 até os dias atuais, os denunciados, na qualidade de membros do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), integraram o núcleo político de e organização criminosa para cometimento de uma miríade de delitos, em especial contra a administração pública em geral e a Câmara dos Deputados”, diz Janot na representação.

A investigação sobre o ‘quadrilhão’ foi iniciada em 2015 tendo como alvo um grupo criminoso composto por políticos do PT, PMDB e PP. No início deste mês foram denunciados os membros do PP, incluindo o senador Ciro Nogueira. Dias depois, Janot denunciou os membros do PT, entre eles, Dilma Rousseff e Lula.

Obstrução da Justiça

Na mesma acusação foram denunciados os executivos da J&F, Joesley Batista e Ricardo Saud, que praticaram crime de obstrução às investigações.

Janot ressaltou que “os fatos praticados pelos ora denunciados remontam à atual gestão do presidente da República Michel Temer. Nesse sentido, há fatos envolvendo diretamente o Presidente na cobrança de propina a executivos da J&F”.

Por se tratar de uma denúncia contra o presidente da República, é necessário que a Câmara dos Deputados dê permissão para que as acusações possam ser analisadas pelo STF.

Denúncia anterior

Em 02 de agosto deste ano, após a primeira denúncia contra Temer, a Câmara dos Deputados votou enegou a investigação contra o presidente pelo STF. Assim, o caso só pode ser apurado no Supremo após o termino do mandato de Temer.

A denúncia era pelo crime de corrupção passiva nas investigações decorrentes da delação de Joesley Batista, do grupo J&F.

 Temer foi acusado de ser beneficiário dos recursos entregues pela empresa ao ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, que havia sido assessor especial da Presidência da República.