Piauí

Ministério Público vai fiscalizar Clínica Santa Fé por um ano

A Clínica se comprometeu em não mais cobrar "taxa de acompanhante" em salas de parto.
VITOR FERNANDES
21/09/2017 18h32 - atualizado

A Promotora de Justiça Gladys Gomes Martins de Sousa instaurou Procedimento Administrativo no dia 19 deste mês com a finalidade de acompanhar, durante um ano, a contar desta data, o cumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado entre a Promotoria e a Clínica e Maternidade Santa Fé, representada pelo Dr. Djalma Cardoso Leite.

  • Foto: Street ViewClínica e Maternidade Santa FéClínica e Maternidade Santa Fé

O TAC celebrado em agosto deste ano, estabeleceu cláusulas para a abstenção da cobrança de qualquer quantia a título de "taxa de acompanhante" ou "paramentação" em razão da presença de acompanhante à parturiente na sala de parto (pré-parto, parto e pós-parto).

A suspensão da cobrança dessa taxa havia sido determinada no dia 21 de julhopor essa mesma Promotora de Justiça.

Depois de denunciada ao Mistério Público por fazer essas cobranças consideradas indevidas a acompanhantes nas salas de parto, a maternidade Santa Fése comprometeu a não mais exigir esses pagamentos.