Piauí

No Piauí são diagnosticados em média 350 pessoas por ano com HIV

No Piauí existem apenas seis serviços de atendimento especializados. Em Teresina, Picos, Floriano, Piripiri e Parnaíba, além de Oeiras.
ISABELA DE MENESES
12/08/2017 17h37 - atualizado

De acordo com dados revelados, nessa sexta-feira (11), pela coordenadora estadual de Doenças Transmissíveis, Karina Amorim, no Piauí, são diagnosticadas 350 pessoas com HIV/AIDS em média, por ano. 

“Um dos pontos que frisamos bastante é a questão do teste para diagnóstico precoce, porque existem várias pesquisas mundiais comprovando que as perspectivas de controle da epidemia começam em conseguir diagnosticar precocemente as pessoas que vivem com HIV e colocá-las em tratamento, diminuindo a replicação viral e também as chances de transmitir para outras pessoas, controlando assim a epidemia que está instalada”, explicou Karina.

  • Foto: Cesar Brustolin/SMCSTeste rápido de HIVTeste rápido de HIV

Segundo a coordenadora, o Plano Anual de Saúde do Programa Estadual de HIV/AIDS está sendo executado ativamente. “Com atividades que vão desde a prevenção a ações de diagnóstico e assistência, passando pelo tratamento e vigilância epidemiológica no intuito de cumprir o previsto no programa”, concluiu.

No Piauí existem apenas seis serviços de atendimento especializados. Em Teresina, Picos, Floriano, Piripiri e Parnaíba, além de Oeiras. Também existem os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) que têm profissionais aptos a realizarem o mesmo trabalho profilático.

Na capital, o Centro de Testagem e Aconselhamento Estadual (CTA) funciona nos períodos manhã e tarde, na Rua 24 de Janeiro, 124/N, edifício Teresa Cristina, 2º andar - esquina com a Álvaro Mendes. Telefones: 3216-2046 / 3216-2048.