Polícia

Novo presídio é aberto devido a superlotação na Central de Flagrantes

O serviço de custódia dos presos está sendo feito por policiais militares do Piauí. O presídio seria inaugurado apenas em outubro deste ano.
ISABELA DE MENESES
14/09/2017 09h18 - atualizado

O secretário de Justiça Daniel Oliveira inaugurou a Penitenciária Regional Nelson Mandela antecipadamente, nesta quinta-feira (14), no município de Campo Maior, devido a superlotação da Central de Flagrantes de Teresina, provocada pela greve dos agentes penitenciários, que não permitem a entrada de detentos nos presídios.

No total quinze detentos estão sendo custodiados na nova unidade penal, que tem capacidade de 180 vagas. O serviço de custódia dos presos está sendo feito por policiais militares do Piauí. O presídio seria inaugurado apenas em outubro deste ano.

  • Foto: SejusPresos transferidos para a nova unidade prisonalPresos transferidos para a nova unidade prisonal

Segundo Daniel Oliveira, o objetivo da antecipação é garantir a continuidade do protocolo de segurança, no que se refere a prisões e recebimento de presos em unidades penitenciárias, para o Estado garantir a custódia adequada.

  • Foto: SejusNova penitenciária de Campo MaiorNova penitenciária de Campo Maior

"Continuaremos trabalhando de forma integrada com a Secretaria de Segurança Pública e o Comando Geral da Polícia Militar, para cumprir as ordens judiciais e o recebimento e custódia de detentos. Se tiver que prender, a Polícia vai prender e vamos receber os detentos, pois os interesses da sociedade estão sempre em primeiro lugar", ressaltou o secretário de Justiça.

  • Foto: SejusAcomodações da nova unidade prisionalAcomodações da nova unidade prisional

A gerencia do presídio de Campo Maior é do capitão da Polícia Militar, Thanack Hitler da Silva Costa. "Por determinação do secretário de Justiça, assumimos a direção desta unidade. Estamos sempre à disposição para servir ao Estado e garantir o cumprimento da Lei", disse o gerente.