Piauí

OAB – PI ajuíza representação criminal contra capitão Miguel Luz

Conduta abusiva teria ocorrido dia 17 de março. Advogado passou duas horas preso em sala do quartel, incomunicável.
ÉRIKA SOARES
10/04/2017 19h14 - atualizado

A OAB Piauí ajuizou nesta segunda-feira (10) uma representação criminal junto ao Ministério Público, através da Promotoria da cidade de União, contra o comandante do policiamento do município, capitão Miguel Luz Leal, por conduta abusiva em relação ao advogado Gleyson Carvalho. No dia 17 de março, o advogado foi ao Comando de  Policiamento do Município e alega ter sido tratado com hostilidade pelo militar, que não entregou o auto de apreensão do veículo de sua cliente. Houve discussão e o capitão deu voz de prisão ao advogado.

A prisão durou cerca de duas horas, tempo pelo qual Gleyson afirma ter estado incomunicável e não teve o direito a acompanhamento de outro advogado para presenciar a suposta ilegalidade da prisão. Foi impetrado habeas corpus para sua soltura, concedido pela juíza da comarca de União.

  • Foto: Aldo MeloCapitão Miguel LuzCapitão Miguel Luz

“Queremos que os policiais envolvidos respondam criminalmente, por isso viemos a União para representá-lo junto ao Ministério Público por abuso de autoridade no caso”, declarou o presidente da OAB-PI Chico Lucas.

Ainda no dia 21 de março a OAB havia protocolado junto ao Comandante Geral da Polícia Militar do Estado (PM-PI), Coronel Carlos Augusto Gomes, representação disciplinar na Corregedoria da Polícia Militar do Estado do Piauí contra o Capitão Miguel Luz.

Procurado pelo Viagora, o capitão afirmou estar tranquilo quanto à representação. “Não houve excessos”.

Mais conteúdo sobre: