Geral

OMS alerta para supergonorreia disseminada através de sexo oral

Especialistas dizem que a situação está "bastante sombria" com poucos medicamentos à vista.
MARCOS CUNHA
com informações do G1
07/07/2017 18h03 - atualizado

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu alerta por conta de uma supergonorreia no mundo, disseminada principalmente por conta do sexo oral.  As relações sexuais sem camisinha estão ajudando a espalhar a perigosa doença.

A entidade alerta que se alguém contrair gonorreia, agora ela é muito mais difícil de tratar - em alguns casos, impossível. Isso porque a doença sexualmente transmitida (DST) está rapidamente desenvolvendo resistência a antibióticos. Especialistas dizem que a situação está "bastante sombria" com poucos medicamentos à vista.

Segundo a OMS, pelo menos 78 milhões de pessoas contraem DSTs por ano, podendo causar causar infertilidade em casos não tratados. Dados de 77 países apontaram que a gonorreia resistente a antibióticos se espalhou por várias nações.

Teodora Wi, da OMS, conta que foram encontrados três casos - no Japão, França e Espanha - onde a infecção era simplesmente intratável. "A gonorreia é uma bactéria muito esperta, toda vez que você introduz uma nova classe de antibióticos para tratá-la, a bactéria adquire resistência", afirma.

  • Foto: ReproduçãoA bactéria ganhou resistência a antibióticosA bactéria ganhou resistência a antibióticos

A doença

A gonorreia é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoea. A infecção se espalha através do sexo desprotegido, tanto vaginal, como oral e anal.

Os sintomas podem incluir uma secreção verde ou amarela a partir dos órgãos sexuais, dor ao urinar e sangramentos esporádicos. Infecções não tratadas podem levar a infertilidade, doença inflamatória pélvica e podem ser transmitidas para o bebê durante a gravidez.