Política

Padre Walmir diz que não fez propaganda eleitoral ilegal em 2016

O gestor enviou nota de esclarecimento sobre o caso e afirmou que vai recorrer da decisão proferida pelo Tribunal Regional Eleitoral, na última terça-feira (25).
RAYANE TRAJANO
27/07/2017 15h51 - atualizado

O prefeito da cidade de Picos, Padre Walmir de Lima, enviou nota de esclarecimento sobre a matéria intitulada “Padre Walmir é condenado por propaganda eleitoral antecipada”, publicada na terça-feira (25), data da decisão do Tribunal Regional Eleitoral.        

No texto, a assessoria do petista chama atenção para a decisão de primeira instância e para o parecer do Ministério Público, que foram contrários ao entendimento da corte do Tribunal.

  • Foto: Facebook/Padre Walmir LimaPadre Walmir LimaPadre Walmir Lima

O prefeito afirmou que vai recorrer da decisão, "na certeza de que não praticou qualquer propaganda eleitoral extemporânea relativa às eleições de 2016". 

Leia a nota na íntegra:

O Prefeito de Picos, Padre Walmir de Lima, vem a público esclarecer sobre a matéria divulgada em alguns portais de notícias da região intitulada de “Padre Walmir é condenado por propaganda eleitoral antecipada”.

Inicialmente, importante consignar que o Padre Walmir, durante as eleições de 2016, jamais praticou qualquer ilícito eleitoral, bem como qualquer ato contrário às normais relativas ao processo democrático-eleitoral foi praticado com sua anuência.

Diante disso, esclarece-se que em primeira instância, o juiz da 10ª Zona Eleitoral de Picos, Geneci Benevides Ribeiro, a julgou improcedente por entender que não teria ocorrido a alegada propaganda eleitoral extemporânea. Na segunda instância, o Ministério Público Eleitoral opinou pela manutenção da sentença do juiz, por também não ter identificado qualquer propaganda eleitoral extemporânea praticada pelo Prefeito Padre Walmir durante as eleições de 2016.

Diante disto, na certeza de que não praticou qualquer propaganda eleitoral extemporânea relativa às eleições de 2016, reforça-se que o Padre Walmir recorrerá da aludida decisão para que não persista mais nenhum tipo de questionamento.

Acrescente-se a isso a informação: a multa aplicada não é direcionada ao prefeito, mas sim ao PT – Partido dos Trabalhadores, ao qual o mesmo é filiado.

Mais na Web