Piauí

Padre Walmir é denunciado ao MPF por fechamento de Postos de Saúde

A denúncia também cita duas escolas que foram fechadas na região, em Altos dos Canutos e na localidade de Alegre.
ISABELA DE MENESES
17/04/2017 15h33 - atualizado

O morador do município de Picos, Raimundo Gonçalves Nunes, denunciou nesta segunda-feira (17) ao Ministério Público Federal (MPF), o fechamento de dois Postos de Saúde da cidade pelo prefeito Padre Walmir, alegando que não houve nenhuma justificativa ou aviso prévio aos moradores por parte do gestor.

Segundo a denúncia os postos de saúde faziam parte das localidades de Tabatinga e Angical que juntas somam cerca de 2 mil moradores. Em entrevista para o Viagora, Raimundo disse que a região já não possuía assistência da prefeitura. “O único benefício que tinha para o povo direto era esses postinhos de saúde que funcionavam precariamente e agora por último o senhor prefeito simplesmente foi lá e despachou a funcionária que já trabalhava há 20 anos”, disse.

  • Foto: Facebook/Prefeitura Municipal de PicosPadre WalmirPadre Walmir

A denúncia também cita duas escolas que foram fechadas na região, em Altos dos Canutos e na localidade de Alegre, as duas fazem parte da cidade de Picos. Sobre isso Raimundo disse que, “esse ele [prefeito] alegou que estava pouco o número de alunos, e estava pouco mesmo, porque não existia merenda, só tinha aula até 9:00 horas, não tinha professores”.

O denunciante relatou ainda que os moradores fizeram manifestações a respeito do fechamento das unidades escolares, mas que não tiveram resposta da prefeitura.

Outro lado

O Viagora entrou em contato com o Secretário Administrativo de Saúde de Picos, Bruno Alves, que informou que os Postos de Saúde continuam funcionando, mas apenas uma vez na semana quando funcionários das Unidades Básicas de Saúde Sede vão até os locais fazer atendimento.

“Nesses locais nós não temos uma sede, o que nós temos lá são ramais, porque a unidade é afastada do posto sede. No momento houve um concurso aqui no município e tem um acordo com o Ministério Público e com a Justiça que a gente precisa substituir todos os contratados por efetivos. Nessas localidades nós só tínhamos contratados, não tínhamos nenhum efetivo, então estamos fazendo esse trabalhado de troca dos servidores”, disse o secretário.