Geral

Palocci diz que Lula fez "pacto de sangue" com Emílio Odebrecht

A investigação apura se o pagamento de propina aconteceu por meio de um apartamento e pela compra de um terreno para nova sede do Instituto Lula.
ISABELA DE MENESES
07/09/2017 10h37

Nessa quarta-feira (06), o ex-ministro dos governos Dilma e Lula, Antonio Palocci, prestou depoimento a respeito do inquérito que investiga o pagamento de propina no valor de R$ 12 milhões pela Odebrecht, para o ex-presidente Lula.

A investigação apura se o pagamento de propina aconteceu por meio de um apartamento e pela compra de um terreno para nova sede do Instituto Lula.

Em seu depoimento, o ex-ministro respondeu todas as perguntas feitas pelo juiz Sérgio Moro, além disso, afirmou que Lula fez um “pacto de sangue” com Emílio Odebrecht. Palocci relatou que Lula recebeu o apartamento e R$ 300 milhões, dinheiro que o ex-presidente sabia que era suja, segundo ele.

  • Foto: Agência BrasilPalocci diz que Lula sabia que dinheiro era sujoPalocci diz que Lula sabia que dinheiro era sujo

Antonio Palocci também explicou como as propinas eram pagas, "em forma de doação de campanha, em forma de benefícios pessoais, de caixa um, caixa dois".

O ex-ministro que está preso desde setembro de 2016, também afirmou que a Odebrecht pagou R$ 4 milhões ao Instituto Lula. Como também que ele e Lula tentaram atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato.