Geral

Piauí tem saldo negativo de empregos nos primeiros 4 meses de 2017

Segundo o Caged, em março foram perdidos 947 empregos no estado e foram realizadas 7.262 admissões e 8.209 demissões no período.
ISABELA DE MENESES
06/06/2017 09h52 - atualizado

O estado do Piauí registrou saldo negativo de 756 vagas de empregos com carteira assinada nos primeiros quatro meses de 2017, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

De acordo com o levantamento, a diferença negativa entre admissões e demissões demonstram que a aparente reação da economia do país, citada pelo Governo Federal nos últimos dias, ainda não chegou ao Piauí.

Segundo o Caged, em março foram perdidos 947 empregos no estado e foram realizadas 7.262 admissões e 8.209 demissões no período. No acumulado do primeiro trimestre de 2017, o estado registrou o fechamento de 1.084 postos de trabalho. Os setores mais afetados com essa situação foram o de serviços, com 650 dispensas, e o da construção civil, com 297 demissões. O único setor que criou empregos foi o da agropecuária, com saldo positivo de 248 vagas. 

  • Foto: Reprodução/Street ViewSine PiauíSine Piauí em Teresina

Já em abril foram admitidas 6.568 pessoas e demitidas 6.343 no Piauí, gerando um saldo a mais de 225 empregos formais, o primeiro resultado positivo desde abril de 2014, porém mesmo com esse saldo positivo em abril, no acumulado do ano o Piauí fechou 756 vagas de trabalho formais e eliminou 6.323 vagas nos últimos 12 meses. Entre os meses de janeiro a março, os números confirmaram uma tendência nacional de redução nos empregos formais.

O levantamento mostrou também que a capital Teresina registrou o maior número de demissões, com a eliminação de 970 empregos formais em março e de 1.803 nos três primeiros meses do ano. Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, José de Freitas teve 70 demissões; Floriano cerca de 28; e Oeiras com 20, foram os que mais registraram perdas de postos de trabalho depois da capital em março. 

O município de União contrariou os números das outras cidades piauienses e conseguiu criar 179 empregos formais em março e 113 em abril, registrando um saldo positivo de 487 postos de trabalho no primeiro quadrimestre do ano.