Polícia

Polícia de Timon prende um dos suspeitos de matar Marco Antônio

Até agora a polícia trabalha com a teoria de crime de latrocínio. “Foi levado da vítima, por enquanto o que a gente tem constatado, o anel de formatura e a quantia de R$ 50,00”, disse o delegado.
RAYANE TRAJANO
19/06/2017 08h01

A Polícia Civil da Cidade de Timon, prendeu na tarde desse domingo (18), um dos acusados de envolvimento na morte do administrador Marco Antônio Oliveira, que desapareceu no dia 04 de junho e foi achado morto uma semana depois, próximo ao seu carro que estava totalmente queimado.

O preso é José de Jesus Pinto Neto, vulgo “Paizinho”, de 19 anos. O delegado Antônio Valente, da delegacia de homicídio de Timon informou que o acusado confessou participação no crime.

Até agora a polícia trabalha com a teoria de crime de latrocínio. “Foi levado da vítima, por enquanto o que a gente tem constatado, o anel de formatura e a quantia de R$ 50,00”, disse o delegado.

  • Foto: DivulgaçãoMarco AntônioMarco Antônio

De acordo com as investigações, 3 pessoas participaram do crime, sendo que uma delas era conhecido da vítima.

O delegado relatou como o crime ocorreu: “O Marco Antônio passava pela BR 316, em Timon, e ele conhecia uma das pessoas, e convidou aquela pessoa para dar uma volta, para ir a um bar e a partir do momento que ele entrou no carro, ele convenceu o Marco Antônio a levar os dois colegas, dentro do carro eles já decidiram que ia roubá-lo. Aí o conduziram para essa estrada vicinal, arrastaram para dentro do mato e lá praticaram o crime”.

O criminoso que já está preso disse à polícia que não foram eles que atearam fogo no carro da vítima, a polícia ainda investiga a versão dele.

“Tudo indica que não foram as pessoas que mataram o Marcos, as mesmas que atearam fogo no carro. O carro ficou abandonado nesta estrada vicinal, como se sabe o corpo do Marcos foi levada para 30 metros dentro do mato e lá eles desfaleceram a vítima e depois disso passaram a aplicar golpes, com um pedaço de ferro, no pescoço dela, e levaram esses pertences, em seguida deixaram o carro lá. Do carro foram levados os pneus e as rodas, só então que foi queimado, a gente ainda tem que checar se foram eles ou não que atearam fogo no carro”, disse o delegado.

Mais conteúdo sobre: