Polícia

Policiais Civis do Piauí estão sem gasolina para diligências

De acordo com Constantino, a Secretaria de Segurança do Piauí (SS-PI) tem um convênio com uma empresa chamada Ticket Car, que bloqueou os cartões de abastecimento por falta de pagamento.
ISABELA DE MENESES
09/10/2017 09h54 - atualizado

Em conversa com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Piauí (Sinpolpi), Constantino Júnior, nesta segunda-feira (09), o Viagora soube a respeito de policiais civis que relataram a falta de gasolina nas viaturas para a realização de diligências.

De acordo com Constantino, a Secretaria de Segurança do Piauí (SS-PI) tem um convênio com uma empresa chamada Ticket Car, que bloqueou os cartões de abastecimento por falta de pagamento.

“É tipo um cartão de crédito onde você tem uma senha, a secretaria tem como acompanhar como está sendo o abastecimento e tem alguns postos credenciados. Só que quando chega o limite e não pagam, ela [Ticket Car] suspende. Até a semana passada estava suspenso”, contou Constantino.

  • Foto: ReproduçãoConstantino JúniorConstantino Júnior

Além disso, o presidente do Sinpolpi contou que a SSP-PI estava fazendo os policiais se deslocarem até o setor de transportes da secretaria, para receber uma nota de R$ 70,00 para rodar a semana toda e que só poderiam abastecer em um único posto, chamado Posto Tex. Esse deslocamento fica quase inviável para as delegacias do interior do estado. 

A respeito da escolha do posto, Constantino fez um questionamento. “Nossa indagação, por que esse posto Tex? Essas notas que se dá avulso, você não tem como controlar, isso aí para nós falta uma transparência, uma coisa que fica claro, eu não sei se esse posto já passou por algum processo de licitação”, argumento o presidente.

Segundo nota da assessoria da Secretaria de Segurança, enviada na última sexta-feira (06), o debito com a empresa responsável pelo abastecimento e manutenção das viaturas policiais, já foi quitado, além de dizer que no prazo de 24 horas os serviços de abastecimentos estariam regularizados. 

Constantino informou que ainda não sabe a respeito da normalização dos serviços, pois não foi informado. 

Confira a nota

"A Secretaria Estadual de Segurança Publica informa que quitou o débito com a empresa responsável por abastecimento e manutenção de viaturas policiais. A SSP aguarda agora o prazo de 24 horas para a regularização dos serviços."