Polícia

Presidente do Comitê Olímpico é preso pela Polícia Federal

Os dois estão sendo investigados por terem participado do esquema de compra de votos na escolha da cidade sede das olimpíadas de 2016.
JOSEFA GEOVANA
05/10/2017 11h27 - atualizado

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) Carlos Arthur Nuzman e o diretor-geral do Comitê Organizador Rio 2016, Leonardo Gryner foram presos hoje (05) pela Polícia Federal através da operação Unfair Play que investiga os envolvidos no esquema de compra de votos para a escolha da cidade do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

  • Foto: DivulgaçãoCarlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Além da prisão temporária, o Ministério Público Federal (MPF) pediu a quebra do sigilo telemático, o cumprimento de mandatos de busca e apreensão na residência dos presos e o bloqueio dos patrimônios dos presos em até R$ 1 bilhão.

De acordo com MPF, Nuzman teve seu patrimônio aumentado em 457% enquanto presidente do COB, sem esclarecimentos claros a respeito dos seus rendimentos.

No dia 5 de setembro, os empresários Arthur Soares (rei Arthur) e sua sócia Eliane Cavalcante foram presos por transferirem propina através de uma empresa a mando do ex-governador Sérgio Cabral, e facilitar o esquema da compra de votos.

Os dois suspeitos de fazer os contatos e organizar a transação da propina, são muito próximos ao presidente do COB, e serão indiciados por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Mais conteúdo sobre: