Piauí

Presos da operação Tríade são apresentados nesta segunda-feira

Dos crimes efetuados pelo bando, o mais conhecido foi o assalto a Servi San.
ISABELA DE MENESES
10/04/2017 09h10 - atualizado

Na manhã desta segunda-feira (10) a Secretaria de Segurança do Piauí (SSP-PI) apresentou em Teresina os presos da Operação Tríade, que teve inicio no dia 30 de Abril. Ao todo foram 15 pessoas capturadas, mas duas já estão livres. Alguns dos integrantes da quadrilha foram localizados em São Paulo e transferidos para Teresina na última sexta-feira (07).

Dos crimes efetuados pelo bando, o mais conhecido foi o assalto a Servi-San, que aconteceu em dezembro de 2016, onde foram levados cerca de R$ 15 milhões. A quadrilha é formada por piauienses e paulistas que fugiram para São Paulo usando um caminhão para levar o dinheiro. 

O Delegado Geral da Polícia Civil, Riedel Batista explicou como chegaram até os acusados. “Este grupo criminoso atuou em três assaltos. Além da Sevi San, também levaram dinheiro do caixa eletrônico na Procuradoria Geral do Estado e do aeroporto de Teresina, foi uma investigação complexa que envolveu Polícia Civil, Militar e Federal, foi um trabalho integrado que contou ainda com apoio do Judiciário, na pessoa do Dr Luis Moura, e das forças de segurança do Estado de São Paulo”, relatou.

  • Foto: Divulgação/AscomSSPIPresos na operação TríadePresos na operação Tríade

De acordo com as investigações a quadrilha possuía funções bem definidas e dividiu os valores roubados de acordo com a participação de cada integrante. Os piauienses levaram em torno de R$ 50 mil, enquanto os paulistas que estavam na linha de frente ficaram com R$ 600 mil a R$ 1 milhão. Apenas parte do dinheiro foi recuperado, segundo a SSP-PI.

Segundo o delegado do Greco, Genival Vilela, ainda existem pessoas para serem presas e por isso a parceria com a Polícia Civil de São Paulo continua. Já sobre a investigação, ele afirma que a primeira pessoa identificada foi um funcionário da empresa de valores.

“Logo após o crime começamos levantar informações e colher imagens. Uma das primeiras pessoas presas trabalhava na própria servisan. Contou versão e verificamos nas imagens que não era verdadeira. Depois verificamos que um dos veículos abandonado tinha uma multa e fomos ao local identificando um dos ocupantes. Um outro foi identificado através da troca de informações com a Polícia Civil de São Paulo e com andamento das investigações identificamos outros”, contou o delegado.

  • Foto: Divulgação/AscomSSPI13 pessoas foram presas na Operação Tríade13 pessoas foram presas na Operação Tríade

Segundo o Secretário de Segurança, Fábio Abreu, o próximo passo é recuperar os recursos que eles subtraíram. “Precisamos tirar de circulação esse dinheiro porque não basta apenas prender, mas também desestruturar financeiramente a quadrilha para que não possam custear a soltura desses presos com produto de crime. Parabenizo e agradeço aos policiais Civis e Militares do Piauí e São Paulo, Policiais Federais, DEIC-SP e demais envolvidos direta e indiretamente neste trabalho”, ressaltou.