Polícia

Promotor denuncia capitão Wattson por feminicídio e mais 2 crimes

A denúncia elenca três crimes: feminicídio qualificado por motivo fútil, ocultação de cadáver e fraude processual.
RAYANE TRAJANO
06/12/2017 16h25 - atualizado

O Promotor de Justiça João Mendes Benigno Filho, da 13ª Promotoria Criminal da Comarca de Teresina, denunciou na manhã esta quarta-feira (06), o capitão da Polícia Militar Allisson Wattson, pelo assassinato da namorada Camilla Abreu.

A denúncia está baseada no inquérito policial da Delegacia de Homicídios. A denúncia elenca três crimes: feminicídio qualificado por motivo fútil, ocultação de cadáver e fraude processual.

  • Foto: DivulgaçãoAllisson WattsonAllisson Wattson

A investigação policial descreve que o capitão estava com a namorada e uma amiga em um bar da zona leste de Teresina, depois, levou a amiga em casa e iria deixar Camilla Abreu em casa também, porém, os dois brigaram, momento em que as agressões iniciaram. Durante a discussão o militar atirou em Camilla, utilizando a arma oficial da Polícia Militar. O laudo aponta óbito por edema cerebral em decorrência de hemorragia intracraniana.

Depois do homicídio, capitão Wattson seguiu com o corpo da vítima até o Povoado Mucuim, próximo à BR 343, em estrada vicinal, adentrou a mata e ocultou o corpo da vítima com galhos de árvores.

No dia seguinte ao fato, Alisson Wattson tentou destruir as provas do crime, levou o carro modelo Corolla para lavar e retirar as manchas de sangue, trocou o banco do passageiro e tentou vender o automóvel na cidade de Campo Maior, mas não conseguiu.

Os depoimentos de amigos, familiares e do próprio militar confirmam a investigação policial.

Mais na Web