Piauí

Promotora diz que violência prejudica a educação em Teresina

O debate foi proposto pelo vereador Dudu (PT) e levantou questões referentes à segurança nas escolas municipais da capital.
ISABELA DE MENESES
29/09/2017 08h47 - atualizado

Durante audiência pública na Câmara Municipal de Teresina, na última quinta-feira (28), a promotora de Justiça Flávia Gomes Cordeiro, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Educação e Cidadania (Caodec), disse que, “a violência nas escolas influencia aprendizagem e formação cidadã”.

“Não dá para oferecer educação de qualidade com um clima de insegurança. O entorno é um aspecto importante da busca por mais segurança nas escolas. A violência não fica de fora dos muros quando os portões são fechados. O Ministério Público, por meio do Caodec, desenvolve o projeto Queremos Paz”, comentou a promotora.

  • Foto: AscomAudiência na Câmara com a promotora Flávia CordeiroAudiência na Câmara com a promotora Flávia Cordeiro

Além disso, Flávia Cordeiro lamentou a falta de investimento governamental na área. “Infelizmente, projetos dessa natureza não tem recebido a devida atenção dos gestores públicos para o seu desenvolvimento nesses espaços escolares. Essas ações, em nível macro, são estruturantes. As emergenciais devem ser apenas para casos que extrapolam”, disse.

O debate foi proposto pelo vereador Dudu (PT) e levantou questões referentes à segurança nas escolas municipais da capital e envolveu representantes de diversas instituições responsáveis pelo assunto.

Ao finalizar, a promotora explicou a importância da prevenção. “Nas escolas há inúmeros registros que mostram a dificuldade dos educadores em lidar com determinadas situações, evidenciando a desorientação dos profissionais da área de ensino sobre o assunto. O desenvolvimento de ações, a exemplo do Projeto Queremos Paz, em escolas, é uma medida urgente e necessária”.