Piauí

Protesto na Frei Serafim é contra terapias de “reversão sexual”

Movimentos sociais, o vereador Venâncio e membros do Conselho Federal de Psicologia participaram da ação. Eles defendem a resolução 01/99 do Conselho que não considera a homossexualidade como doença.
VITOR FERNANDES
26/09/2017 17h00 - atualizado

Um ato organizado por movimentos sociais juntamente com representantes do Conselho Federal de Psicologia (CFP) aconteceu no início da noite de ontem (25) no canteiro da Avenida Frei Serafim em defesa da resolução 01/99, que estabelece normas de atuação para psicólogos em relação à questão da orientação sexual. O vereador Venâncio Cardoso (PP) esteve presente.

A ação é contrária a decisão judicial de um juiz federal do Distrito Federal que liberou psicólogos brasileiros para oferecer terapias de “reversão sexual”. A manifestação contou com a participação de várias pessoas, algumas com cartazes coloridos pintados de palavras de ordem como “Psicólogos não curam gays, curam homofobia”. 

  • Foto: DivulgaçãoIntegrantes do ato exibiam cartazes com palavras de ordem.Integrantes do ato exibiam cartazes com palavras de ordem.

Para Venâncio o ato é justo e um direito dos LGBTs. “Nossa sociedade precisa aprender a respeitar as diferenças. Não há como existir cura para algo que não é doença. Estive no local para apoiar a causa como vereador de Teresina que se preocupa com todos os setores da sociedade”, disse.

Na Resolução 01/99, o Conselho Federal de Psicologia considera que “a forma como cada um vive sua sexualidade faz parte da identidade do sujeito, a qual deve ser compreendida na sua totalidade” e que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista internacional de doenças em maio de 1990. A OAB-PI já se manifestou sobre o assunto contestando a decisão do juiz e rejeitando essas terapias para esses fins.

Mais conteúdo sobre: