Política

PSC inaugura nova sede no Piauí e faz filiação de Valter Alencar

O evento conta com a presença do presidente nacional da sigla, Pastor Everaldo.
RAYANE TRAJANO E ISABELA DE MENESES
27/09/2017 11h05 - atualizado

Filiação de Valter Alencar ao PSC na inauguração da nova sede

O Partido Social Cristão (PSC) inaugurou nesta quarta-feira (27), a nova sede do diretório estadual do partido, na rua Mato Grosso, centro de Teresina. O evento conta com a presença do presidente nacional da sigla, Pastor Everaldo.

Na ocasião, também ocorre a filiação do empresário e jurista Valter Alencar Rebelo, que deve ser o candidato do partido ao governo do estado no próximo ano. “O partido definirá o caminho que tomarei e espero fazer um servir com humildade, com compromisso de fazer a coisa pública com um modelo de gestão que possa levar à população piauiense um modelo transformador, que não se repita as práticas de fisiologismo do trato com a coisa pública”, declarou o empresário afirmando que a possbilididade de candidatura ao Senado não foi descartada. 

  • Foto: Isabela de Meneses/ViagoraInauguração da nova sede do PSCInauguração da nova sede do PSC

A vice-governadora Margarete Coelho (PP) está presente no evento e celebrou a filiação de Valter Alencar. “Fico extremamente feliz quando vejo pessoas que se estabeleceram profissionalmente em outras áreas, pessoas que tem bons nomes, que tem vontade de trabalhar pelo nosso estado, que querem servir à cidadania, procurarem os partidos políticos a fim de filiarem, isso é importantíssimos. Estamos em um momento em que os partidos políticos precisam se renovar”, declarou.

Presidência da República

Pastor Everaldo confirmou que o PSC terá candidatura própria para presidência da República em 2018, mas não declarou quem será, já que o presidenciável Jair Bolsonaro deve deixar a sigla. “Dentro de 10 ou 15 dias estarei anunciando o nome do candidato à presidente da República”, disse.

Entre as propostas que devem ser apresentadas pelo PSC na campanha do próximo ano, está a redução de tributos. “Vamos, em 2018, trazer uma proposta efetivamente de que o Brasil está precisando. O Brasil precisa dar liberdade para quem trabalha, para empreender mais, diminuir essa carga tributária, mudar as condições. Não é possível! Em números oficiais, são 14 milhões de desempregados, mas na realidade são mais de 20 milhões de desempregados que não tem condições de levar comprinhas para casa, para seus filhos”, explicou.

Mais conteúdo sobre: