Polícia

Quinze suspeitos de fraude no concurso da Polícia Civil são liberados

Segundo GRECO, os suspeitos cumpriam prisão temporária e estão sob medidas cautelares.
MARCOS CUNHA
15/05/2017 17h32 - atualizado

A maioria dos presos na Operação Infiltrados, suspeitos de fraudarem o concurso da Polícia Civil do Piauí em 2012, foram liberados. De acordo com informações do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), quinze suspeitos tiveram a prisão temporária convertida em medidas cautelares, já que a liberdade destas pessoas não comprometem o andamento das investigações.

O coordenador do Greco, delegado Willame Moraes, explicou que dos 23 mandados de prisões, sete eram de prisão preventiva e 16 eram temporárias. Ao todo, oito pessoas ainda continuam presas suspeitas de fraudar o certame.

“Eram prisões que a gente efetua para investigar, e aí solicitamos ao juiz medidas cautelares diferente da prisão, porque nosso interesse era só pegar mais elementos de prova. As medidas variam para cada pessoa, algumas medidas era não se comunicar entre si, entre os investigados, e não frequentar alguns locais. Das 16 temporárias, 15 foram convertidas em medidas cautelares e uma foi convertida em preventiva. Então, nós ficamos com oito presos através de mandados preventivos”, explicou o delegado.

  • Foto: Isabela de Meneses/ViagoraDelegado Willame Martins, comandante do GRECODelegado Willame Martins, comandante do GRECO

Willame Moraes repassou que as investigações do caso continuam e que o inquérito ainda não foi concluído. “Nós ainda temos algumas perícias, alguns deles ainda continuam sendo interrogados, e vai depender do que for aparecendo”, disse o delegado, acrescentando que mais prisões podem acontecer.

A Operação

A Operação Infiltrados foi deflagrada no último dia 09 de maio, com o objetivo desarticular uma organização criminosa composta em sua maioria por Agentes de Polícia Civil, especializada em fraudes a concursos públicos e outros crimes.

Foram cumpridos mandados de prisões preventivas, temporárias, conduções coercitivas e buscas e apreensões nas cidades de Teresina, Campo Maior, Pedro II, São Raimundo Nonato, Fortaleza (CE) e Araripina (PE). Dentre os presos e investigados, 16 policiais civis foram detidos.

Mais conteúdo sobre: