Política

R. Silva critica fim das coligações proporcionais e cláusula de barreira

O vereador se posicionou durante sessão desta quarta-feira (06) na Câmara Municipal de Teresina.
JOSEFA GEOVANA
08/09/2017 09h55 - atualizado

O vereador R. Silva (PP) criticou a aprovação do fim das coligações de partidos nas eleições proporcionais, durante sessão na Câmara Municipal de Teresina, na quarta-feira (06). A medida foi aprovada em primeiro turno, pela Câmara dos Deputados.

“Eu chamo a atenção para o fim das coligações proporcionais, que significa que cada partido tem que seguir sem nenhum tipo de ajuda do outro para eleger seus representantes”, relatou o vereador, que afirmou ter motivos para acreditar que a legislação eleitoral sofrerá modificações até outubro deste ano.

  • Foto: AscomVereador R. SilvaVereador R. Silva

De acordo com R. Silva, o fim das coligações trará dificuldades para todos os partidos políticos, que terão que se esforçar para concorrer nas eleições de 2018 ou 2020 com um maior número de concorrentes, para não serem afetados pela medida.

O vereador aproveitou o momento para criticar, a aprovação do projeto da cláusula de barreira, também conhecida como cláusula de desempenho ou cláusula de exclusão, que se trata de um norma na qual restringe o funcionamento parlamentar de partidos que não conseguiram alcançar determinados percentual de votos. Pela norma, inicialmente para ter acesso ao fundo partidário, cada partido terá que ter nove deputados eleitos em 2018 e apresentar 1,5% dos votos válidos.

“Essa mudança vai trazer, no Piauí, uma grande correria dos partidos para manter pessoas que queiram disputar cadeiras no legislativo estadual e municipal nas próximas eleições. Acho que a reforma deveria ser mais profunda e melhor discutida com a população e com os partidos”, explicou R. Silva.

Mais conteúdo sobre: