Política

Regina Sousa diz que morte de reitor da UFSC foi devido à prisão

A senadora leu uma carta escrita pelo reitor, na qual ele relata a humilhação e vexame a que foi submetido ao ser preso.
ISABELA DE MENESES
04/10/2017 17h23 - atualizado

Na última segunda-feira (02), a senadora Regina Sousa (PT-PI) afirmou no Plenário do Senado, que o reitor afastado da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Carlos Cancellier, foi a primeira vítima fatal dos abusos cometidos pelo o que ela classificou de "Estado policialesco" que impera no país.

O reitor cometeu suicídio na segunda-feira, segundo a polícia. Porém, segundo Regina Sousa, isso aconteceu por conta de sua prisão por suspeita de desvio de R$ 80 milhões, referentes a bolsas de estudo da instituição.

  • Foto: Pedro França/Agência SenadoSenadora Regina Sousa (PT-PI)Senadora Regina Sousa (PT-PI)

De acordo com a Agência Senado, a senadora leu uma carta escrita pelo reitor, na qual ele relata a humilhação e vexame a que foi submetido ao ser preso. A senadora afirmou ainda que o reitor sequer foi ouvido em investigação interna prévia que apurou os fatos, o que para ela demostra que Cancellier foi acusado e condenado pela opinião pública.

“Essa geração no Ministério Público, na Polícia Federal, tem uma sede de mídia incrível. Eles trabalham parecendo mais para as redes, principalmente a rede globo, do que propriamente para o governo. Precisa ser mais discreto! Não é possível. Entre as pessoas, têm culpados e têm inocentes. Depois que sai na rede globo, por exemplo, a pessoa passa a ser culpada pelo resto da vida. Não interessa, que ele consiga provar a sua inocência. Ele está perdido”, protestou Regina Sousa.

Mais conteúdo sobre: