Política

Robert Rios rebate críticas de Themístocles sobre pedidos na Alepi

O presidente da Alepi, Themístocles Filho, diz que o deputado Robert Rios (PDT), quer ocupar "telinhas" com seus requerimentos.
VITOR FERNANDES
05/10/2017 18h06 - atualizado

O deputado Robert Rios (PDT) disse nesta quinta-feira (05) na Assembleia Legislativa do Piauí que se sentiu ofendido pelo fato de o deputado e presidente da Alepi, Themístocles Filho, ter dito em entrevista a um programa de TV que o requerimento dele para afastar o Secretário de Justiça, Daniel Oliveira, era para ocupar “telinhas”, e que outro requerimento, também de sua autoria, que solicitava “fechar” a Alepi, era coisa de Ditadura Militar.

  • Foto: Assembléia Legislativa do Piauí.Deputado Robert Rios (PDT)Deputado Robert Rios (PDT)

“Eu não preciso de 'telinha'. E segundo, eu não posso querer a Ditadura Militar, porque não sou militar, eu sou civil. Não gosto de ditadura, eu gosto é de ter as prerrogativas de deputado preservadas”, comentou. 

  • Foto: AlepiThemístocles FilhoThemístocles Filho

Themístocles Filho respondeu aos comentários de Robert Rios. “Na hora em que o presidente é informado, toma as providências cabíveis. A última instância é o plenário dessa Casa. Primeiro vai para as comissões técnicas e, se a informação não for correta, vem para o plenário e este decide. Vossa excelência tem o direito de fazer o requerimento que deseja. Agora, no momento em que fechar as Assembleias do Piauí, do Maranhão, o Congresso Nacional, fechar o Judiciário, é um golpe militar”, ressaltou o presidente da Alepi.

Themístocles pediu mais ação do deputado, reforçou a ideia da tentativa de Robert de ganhar holofotes e fez esclarecimentos de competências.

“Nós temos que agir. Nós não podemos ficar sentados, gritando e achando que um requerimento vai resolver o problema do Brasil. Mais um papel que o deputado Robert faz muito bem e que isso leva para a “telinha”. Eu disse hoje que quem tem competência para exonerar secretário de Estado é o governador do Estado. No momento que a Assembleia aprovasse seu requerimento, Vossa Excelência ia dizer: a Casa aprovou a exoneração do secretário. E o governador ia dizer: requerimento solicita, pede... não determina”, disse.