Polícia

Saiba quem são os envolvidos no assalto milionário à Servi-San

Os presos fazem parte de uma grande organização criminosa, que roda o Brasil praticando esse tipo de crime.
RAYANE TRAJANO E ANA RAQUEL COSTA
31/03/2017 13h35 - atualizado

A Polícia Civil do Piauí prendeu 10 dos criminosos envolvidos no assalto milionário à Servi-San, durante Operação Tríade Paulista, efetuada nessa quinta-feira (30) e sexta-feira (31). As ações policiais foram realizadas em Teresina, onde foram presas 5 pessoas, e no estado de São Paulo, onde há mais 5 detidos. 

Durante a operação foram presas outras 5 pessoas suspeitas de envolvimento com explosões de caixas eletrônicos em Teresina, totalizando 15 presos.

De acordo com o delegado Carlos César, os suspeitos fazem parte de “uma grande organização criminosa, que roda o Brasil praticando esse tipo de crime [roubo à seguradoras]". Esse caso foi muito planejado, por pelo menos 8 meses, pois o primeiro indício da presença deles em Teresina é de maio de 2016.

O primeiro contato dos criminosos foi com o ex-funcionário da Servi-San, Marcelo Rabelo, ele apresentou os assaltantes a outros funcionários da seguradora, que planejaram a logística do crime, dificultando a apuração.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilEnvolvidos no caso ServisanEnvolvidos no caso Servisan

Saiba como agiu os cinco presos em Teresina:

Carlos Acácio Freitas dos Santos - criminoso de São Paulo, já foi preso em Teresina. Ele conheceu a atual esposa no presídio, casaram e moram em Teresina. Foi a partir dele que iniciou os contatos com criminosos de São Paulo. Ele é um dos líderes da quadrilha.

Marcelo Rabelo Rodrigues - ex-funcionário da Servi-San, trabalhou até o final de 2015. Foi procurado pelo grupo, que pensou que ele ainda era funcionário. Como ele tinha contatos com os funcionários, inclusive com o vigilante preso no começo da operação, facilitou o crime.

José Airton Rodrigues – conhecido como “Dr. Airton”, por ser estudante de direito. Ele foi quem alugou o caminhão baú que foi utilizado para tirar o dinheiro de Teresina e dar fuga aos criminosos. Ele também ficou com as armas e alugou a casa usada pela quadrilha.

Eduardo da Silva Soares- é um traficante conhecido “Duda” dava apoio logístico a Airton, no aluguel das armas e do caminhão.

Carlos Wellington Marques de Jesus– é um dos assaltantes que entrou na seguradora no dia do crime. A polícia tem imagens dele pegando o dinheiro do cofre, onde ele aprece de boné, sem máscara para esconder o rosto.

Paulo Sérgio Francisco dos Santos – assaltante, além do crime contra a Servi-San, tentou um assalto semelhante contra a seguradora Prosegur, em janeiro deste ano, na cidade de Bacabal (MA), está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.