Política

Senadoras que protestaram contra Reforma serão avaliadas em agosto

Elas ocuparam a mesa do Senado impedindo a votação da Reforma Trabalhista.
JOSEFA GEOVANA
17/07/2017 16h11 - atualizado

Após o término do recesso parlamentar que começará amanhã (18) e terminará somente no final de julho, os senadores irão discutir sobre a denúncia realizada contra as senadoras que por meio de um protesto, ocuparam a mesa do plenário impedindo por sete horas que o senador Eunício Oliveira iniciasse a votação da reforma trabalhista.

A denúncia foi protocolada por 15 senadores. Segundo o Senador José Medeiros, a conduta das mulheres que ocuparam a mesa é ilegal, autoritária e abusiva, e espera que seja aberto um procedimento disciplinar contra elas, para que seja verificado se ouve falta de decoro parlamentar.

  • Foto: Alessandro Dantas/PT no SenadoSenadoras oposicionistas ocupam a Mesa do Senado para impedir sessão de debate da Reforma Trabalhista.Senadoras oposicionistas ocupam a Mesa do Senado para impedir sessão de debate da Reforma Trabalhista.

O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, senador João Alberto Souza (PMDB–MA), declarou que em agosto irá reunir o colegiado para deliberar a denúncia contra as senadoras Regina Sousa (PT-PI), Vanessa Grazziotin (PcdoB-AM), Gleisi Hofmann (PT-PR), Ângela Portela (PDT-RR), Lídice da Mata (PSD-BA), Fátima Bezerra (PT-RN).

Por se tratar apenas de uma denúncia, as senadoras poderão ser punidas através de advertências, e só correm o risco de perder o mandato se a denúncia for convertida em representação pela Mesa Diretora do Senado.

Mais conteúdo sobre: