Piauí

Servidores do SAMU paralisam as atividades em Teresina

Uma negociação foi proposta à categoria com data para o dia 10 de abril, mas foi rejeitada.
ANA RAQUEL COSTA
04/04/2017 17h00 - atualizado

Servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) paralisaram os atendimentos na manhã desta terça-feira (04). Com a paralisação, os funcionários exigem a devolução de gratificações retiradas sem aviso prévio por parte da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Em virtude do movimento, 30% da frota está em funcionamento.

Uma negociação foi proposta à categoria com data para o dia 10 de abril, mas foi rejeitada. A categoria alega que não aceita as más condições de trabalho, os baixos investimentos e sucateamento da frota existente. Os descontos feitos pela FMS chegam a valor acima de R$800,00.

  • Foto: Divulgação/SINDSERMServidores do SAMU paralisaram os atendimentos na manhã desta terça-feira (04).Servidores do SAMU paralisaram os atendimentos na manhã desta terça-feira (04).

De acordo com Anselmo Pinheiro, diretor de assuntos jurídicos do Sindicato de Servidores Públicos Municipais de Teresina (SINDSERM), foram várias decisões administrativas que prejudicam a vida do servidor como a retirada do incentivo SUS, más condições de trabalho. Entre as reivindicações estão o pagamento da insalubridade, adicional noturno, produtividade e retorno do incentivo SUS.

  • Foto: Divulgação/SINDSERMServidores do SAMU paralisaram os atendimentos na manhã desta terça-feira (04).Servidores do SAMU paralisaram os atendimentos na manhã desta terça-feira (04).

Na última quarta-feira (29) a categoria entregou ao presidente da FMS, Silvio Mendes a pauta de reivindicações que incluem para o ano de 2017 a aquisição de 10 ambulâncias, regularização da profissão de condutor, aumento na equipe de motolâncias, mudanças de nível da categoria e melhorias estruturais na central.

Mais conteúdo sobre: