Piauí

Silvio Mendes é condenado por contratações sem concurso público

A decisão do juiz Aderson Antônio Brito Nogueira foi proferida dia 19 de setembro, condenando também João Orlando Gonçalves.
RAYANE TRAJANO
22/09/2017 20h00 - atualizado

O ex-prefeito de Teresina, atual presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Silvio Mendes, foi condenado em ação civil por improbidade administrativa. A decisão do juiz Aderson Antônio Brito Nogueira foi proferida dia 19 de setembro, condenando também João Orlando Gonçalves.

A ação foi proposta pelo Ministério Público do Estado informando que os dois ex-gestores fizeram contratações ilegais de fisioterapeutas para da FMS, ao tempo em que haviam profissionais aprovados em concurso que deveriam ser nomeados. Os contratos ocorreram durante o mandato de Silvio Mendes na Prefeitura de Teresina e João Orlando na FMS.

  • Foto: DivulgaçãoSílvio MendesSílvio Mendes

Os acusados alegaram que não houve irregularidades, já que os contratos foram temporários. Porém, o juiz entendeu que houve ilegalidade nas contratações, sem a prévia realização de concurso público.

Assim, os dois foram condenados à suspensão dos direitos políticos por três anos, proibição de contratar com o poder público pelo mesmo período e pagamento de multa no valor de 20 vezes o salário recebido na época.

Elmano condenado 

As contratações ilegais não ocorreram apenas na gestão de Silvio Mendes. O senador Elmano Férrer também foi condenado por improbidade administrativa, devido a ações semelhantes durante seu mandato na prefeitura de Teresina.